18 de fevereiro de 2013

Suspeito diz que tiro em torcedor do Náutico foi acidental


Em coletiva de imprensa, polícia deu detalhes da prisão do suspeito (Foto: Luna Markman/G1)Em coletiva de imprensa, polícia deu detalhes da prisão do
suspeito (Foto: Luna Markman/G1)
O suspeito de atirar no torcedor do Náutico, na noite do último sábado (16), em frente à sede do clube alvirrubro, nos Aflitos, Zona Norte do Recife, confessou que efetuou o disparo, mas afirma que o tiro foi acidental, segundo a polícia. O homem de 37 anos foi preso na manhã desta terça-feira (19), no bairro de Nova Descoberta, também na capital, por força de um mandado temporário decretado por um juiz especial nesta madrugada.
O homem prestou depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na tarde da segunda (18) passada, após ser intimado pela polícia. Ele falou por quatro horas e foi liberado. Ele informou que trabalhava como controlador de tráfego, a cerca de quatro meses, contratado pela empresa de ônibus Pedrosa, que pagava diárias de R$ 40 e não dava armas para os funcionários. A função dele seria controlar o embarque e desembarque de passageiros nas paradas e evitar a depredação dos coletivos.
A empresa Pedrosa foi procurada pelo G1, mas os diretores informaram que não iriam se pronunciar sobre o assunto neste momento.
De acordo com o chefe da Polícia Civil, Osvaldo Moraes, houve um incidente com um ônibus da Pedrosa, nas próximidades dos Aflitos, antes da tentativa de homicídio contra o torcedor alvirrubro. "Um coletivo da Pedrosa foi apedrejado por um menor minutos antes do crime. Quatro ditos controladores de tráfego da Pedrosa foram averiguar a situação. Dois deles foram a uma delegacia com o menor e outros dois ficaram na calçada da sede do Náutico, quando um ônibus da empresa Globo passou, com torcedores da Jovem [torcida organizada do Sport]. Torcedores do Sport desceram do coletivo, assim como quatro controladores de tráfego da Globo, e começou a confusão", explicou.
Segundo Joselito Kherler, suspeito afirma que tiro foi acidental  (Foto: Luna Markman/G1)Joselito Kehrler mostra foto do tipo de colete usado 
por controladores (Foto: Luna Markman/G1)
Imagens das câmeras de segurança da Secretaria de Defesa Social (SDS), que não foram cedidas à imprensa, mostram o momento exato no qual o torcedor do Náutico, de 19 anos, é baleado na cabeça. "As imagens mostram o suspeito na calçada do clube, embaixo de uma marquise, junto com outros controladores de tráfego, espancando um grupo de torcedores, quando o jovem se aproxima, pois uma das vítimas seria primo dele. A imagem mostra que ele é baleado logo em seguida, e o suspeito é o único a sair sorrateiramente da cena do crime. Ele coloca a arma na cintura e sai no contra-fluxo das pessoas que vêm socorrer o rapaz", explicou o secretário da SDS, Wilson Damázio.

Segundo o diretor de Polícia Especializada, delegadoJoselito Kehrle do Amaral, o suspeito afirma que o tiro foi acidental. "Ele disse em depoimento que atiraram uma pedra nele e, junto com outros controladores, foram atrás do grupo de torcedores revidar a agressão. Ele falou que estava dando coronhadas, quando o jovem se aproximou e a arma disparou acidentalmente. Pela imagem não é possível confirmar essa versão, só com depoimentos", informou. O suspeito ainda afirmou à polícia que não tinha porte legal de arma, mas a origem do artefato não foi explicado pela investigação. A arma usada no crime ainda não foi localizada.
O inquérito, com mais de 200 páginas, deve ser concluído dentro de dez dias. Doze testemunhas já foram foram ouvidas. O investigado está detido no DHPP e pode, a qualquer momento, ser encaminhado ao Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. "Temos ainda que esclarecer esse ponto se o tiro foi ou não acidental, mas de qualquer forma ele será indiciado por tentativa de homicídio. Pode também ser indiciado por porte ilegal de arma e formação de milícia. Ainda falta identificar quem são os outros controladores que aparecem no vídeo durante o espancamento", falou Joselito Kehrle.
O delegado responsável pelo caso, Paulo Furtado, afirma que investiga a possibilidade do envolvimento de outras pessoas. "Ainda é muito prematuro para dizer qualquer coisa. Estamos apurando se ele tinha registro de segurança, porte de arma", detalha o delegado, que diz ainda não poder dar detalhes do que o suspeito teria contado à polícia até agora.
Crime
O estudante Lucas Lyra foi baleado quando chegava ao estádio dos Aflitos, no último sábado (16), para assistir a uma partida do Náutico. Um ônibus com torcedores do Sport, que também jogou naquele dia, passou em frente ao estádio, o que gerou uma confusão. O torcedor foi baleado nesse momento. De acordo com boletim médico desta terça-feira, Lucas continua internado em estado grave no Hospital da Restauração (HR), na área central do Recife. O jovem está sedado e respirando com a ajuda de aparelhos.
G1 PE

Postagem anterior
Próxima