20 de junho de 2013

Justiça proíbe a Telexfree de fazer novos cadastros

A Ympactus Comercial Ltda, mais conhecida como Telexfree, está interditada judicialmente em todo o Brasil. A empresa de marketing multinível está proibida de efetuar novos cadastros de divulgadores e de efetuar pagamentos aos divulgadores já cadastrados, sob pena de multa diária de R$ 100 mil por cada novo cadastro ou pagamento.

TelexfreeA decisão é da juíza Thaís Khalil, titular da 2ª Vara Cível do Rio Branco, no Acre. O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio da Promotoria de Defesa do Consumidor e Promotoria de Defesa dos Direitos Humanos, foi o autor da medida cautelar preparatória de ação civil pública contra a Telexfree. A empresa tem cinco dias para apresentar sua defesa e dez dias para recorrer à segunda instância.

A decisão da juíza determinou ainda o congelamento dos bens e o bloqueio de valores existentes em contas bancárias e aplicações financeiras da Telexfree, assim como os de seus sócios, Carlos Roberto Costa e Carlos Nataniel Wanzeler.

Khalil acrescentou na sentença que, até hoje (20), a Telexfree será obrigada a exibir em seu site, por meio de pop-up, um cartaz informando seus divulgadores sobre o conteúdo da liminar, sob pena de R$ 500 mil por dia caso não cumpra o estabelecido.

Em março deste ano, a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda havia acusado a Telexfree de fazer “esquema de pirâmide financeira”, o que é considerado crime.

Diário de Pernambuco

Postagem anterior
Próxima