10 de setembro de 2013

Dr José Nivaldo é homenageado na APL

Foto/ Google
Em cerimônia realizada no final da tarde de ontem, a Academia Pernambucana de Letras (APL) prestou uma homenagem póstuma ao médico, pecuarista e escritor José Nivaldo Barbosa. O autor, que ocupava a cadeira de número 34 da casa, faleceu no dia 5 de agosto, em Surubim. 
Para o filho do autor, o publicitário e historiados José Nivaldo Junior, a celebração é importante porque seu pai era apaixonado pela APL. “Era um espaço que ele amava frequentar. Fazia questão de sair de Surubim para cada uma das reuniões”, conta.
“Ele foi um escritor nato, um mestre na arte de transformar o cotidiano em ficção”, apontou o filho. Também escritor, José Nivaldo Junior ainda destacou que escreveu a continuação da obra de estreia do pai, O atestado de donzela. O publicitário foi preso político da ditadura e teve o episódio relatado por José Nivaldo em Pesadelo – Rememorando uma prisão política.
A celebração da obra e trajetória de José Nivaldo começou com um discurso da presidente da APL, a escritora Fátima Quintas. Ela lembrou a importância do autor de Doutor Marcolino não só nas suas atividades profissionais, mas como um humanista, “sempre voltado para a compreensão do outro através de uma visão multifacetada da vida”.
Outros acadêmicos prestaram homenagem ao escritor. Dirceu Rabelo destacou a “sintaxe e o linguajar próprios do cenário do Nordeste”, uma das marcas da sua obra. Ainda teceram comentários Waldenio Porto, Luzilá Gonçalves e Ana Maria César, todos também colegas de APL.
Além de familiares, como Murilo Marinho de Souza, neto, e Neire Montenegro, filha, ainda houve espaço para vídeos e até mesmo uma leitura encenada de um dos romances de José Nivaldo, O atestado de donzela, feito pelo grupo Proscênio, do Sesc Surubim.

Do JC Online

Postagem anterior
Próxima