sábado, setembro 14, 2013

Trabalhadores dos Correios em Pernambuco decidem continuar greve

Após assembleia realizada nesta sexta-feira (13), os funcionários dos Correios em Pernambuco decidiram continuar com a greve que foi deflagrada às 0h desta sexta-feira. A paralisação continuará até, pelo menos, o próximo encontro da categoria, programado para a segunda-feira (16), às 16h, quando se decidirá sobre os rumos do movimento ou será colocada em votação uma nova proposta do governo, caso ela realmente seja feita.
Laila Santana/Folha de Pernambuco
Além da manutenção do plano de saúde, os trabalhadores reclamam reajuste do piso salarial
Na reunião de hoje, a maioria dos trabalhadores votou contra a proposta de reajuste salarial oferecida pelo Governo Federal, de 8% mais 6,27% de outros benefícios, contra os 5,27% que foram ofertados anteriormente. Além disso, os funcionários também rejeitaram a manutenção do Correios Saúde somente para os servidores da estatal. Na proposta do Governo, os recém-contratados teriam que aderir ao plano Postal Saúde, fato que não foi aceito pelo ecetistas.

Em nota, a direção da estatal havia informado que o Correios Saúde seria mantido com os benefícios atuais, não havendo qualquer prejuízo aos trabalhadores. De acordo com o órgão federal, todo processo de migração para o Postal Saúde demanda autorização da Agência Nacional de Saúde (ANS) e o processo será feito dentro dos trâmites legais.
Sobre a adesão dos funcionários à greve, o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telégrafos de Pernambuco (Sintect-PE) informou que 65% dos servidores ligados aos setores de recepção, tratamento e entrega de encomendas pararam as atividades na Região Metropolitana do Recife (RMR). . Já no Interior do Estado, a estimativa é de que a adesão tenha sido maior, chegando a 75%.
Além da manutenção do plano de saúde no modelo atual, os trabalhadores reclamam reajuste do piso salarial, que hoje é de R$ 1.004 para R$ 1.400, indicando um aumento de 40% nos rendimentos e também a incorporação de R$ 200 no salário de todos trabalhadores que recebem acima do piso. Além disso, eles exigem que o vale-alimentação e vale-cesta passe de R$ 761 para R$ 920.
Fim da greve pelo País
Diferente de Pernambuco, os trabalhadores dos Correios de São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins, Rio Grande do Norte e Rondônia decidiram encerrar a greve. Segundo a Findect, os funcionários aceitaram a proposta dos Correios com reajuste de 8% sobre os salários e de 6,27% sobre os benefícios, além de outras concessões. A partir da próxima quarta-feira (18), outros 29 sindicatos que representam a categoria no País podem aderir à greve.
Folha de Pernambuco