terça-feira, abril 29, 2014

Energia fica mais cara 17% em Pernambuco

A Celpe informa que o reajuste anual da tarifa de energia elétrica foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Este ano, o reajuste médio para Pernambuco foi de 17,75%. O principal custo levado em consideração para o reajuste 2014 foi a compra de energia, por parte das distribuidoras.
Para os consumidores atendidos em Baixa Tensão, que representam 99,8% dos consumidores da empresa e incluem os clientes residenciais, o reajuste médio será de 17,69%. Já os consumidores industriais e comerciais de médio e grande portes, atendidos em Alta Tensão, terão reajuste de 17,86%, em média.
As novas tarifas entrarão em vigor a partir desta terça-feira, 29 de abril. Desta forma, o consumidor irá perceber essa variação integralmente a partir da fatura referente ao consumo do mês de maio.
O reajuste tarifário anual está previsto no contrato de concessão das distribuidoras e não é apenas um mecanismo de correção monetária, mas, também, de ajuste de vários itens que não estão sob o controle das distribuidoras.
A parcela dos custos não gerenciáveis é composta pela energia comprada para revenda, custos de transmissão e dos encargos setoriais, que em conjunto com impostos e tributos – ICMS, PIS/PASEP e COFINS – correspondem a cerca de 75% do valor pago pelo consumidor na conta da energia elétrica.

Composição Simplificada da Conta de Energia:
  
Composição detalhada da Conta de Energia:
 
No índice médio de 17,75%, aprovado pela Aneel, predominam os custos não gerenciáveis, que representam um índice de 15,82% na variação média repassada para o consumidor. A compra de energia é o item com maior impacto na composição do índice, sendo de 11,12%. Os custos que competem à Celpe representam 1,93% do reajuste tarifário deste ano.
Tarifa volta ao patamar de 5 anos atrás – No gráfico seguinte, é possível acompanhar a evolução da tarifa residencial da Celpe entre 2007 e 2014. Pode-se constatar que neste período a variação do IGPM foi de 57%, a do IPCA foi de 47,2%, enquanto que as tarifas residenciais subiram 3,7% no período. Com a aprovação do índice deste ano pela Aneel a tarifa volta ao patamar de 2009.

Exemplos práticos – Atualmente, os consumidores de Baixa Tensão representam 99,8% dos clientes da Celpe. Um consumidor Residencial Convencional que consome 80 kWh/mês, por exemplo, terá sua conta reajustada de R$ 33,99 para R$ 39,89. Já o Residencial Baixa Renda com o mesmo consumo de 80 kWh/mês, terá o valor alterado de R$ 12,44 para R$ 14,67.

*Escrito por Magno Martins