sábado, outubro 25, 2014

Cinco de seis acusados pela morte de professora em Surubim são condenados

Seis pessoas foram julgadas no Fórum Thomaz de Aquino, no bairro de Santo Antônio
Folha de Pernambuco - Terminou, na noite desta sexta-feira (24), o julgamento dos seis acusados de torturar, queimar, esquartejar e ocultar o corpo da professora Maria Iracema de Morais, em 2011. A audiência, que durou dois dias, aconteceu no Fórum Thomaz de Aquino, no bairro de Santo Antônio, na área central do Recife. O crime aconteceu em 2011 e teria sido parte de um ritual.

Paulo Vitor de Araújo, de 26 anos, e Ailton Félix da Silva, 44, foram condenados a 24 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Elizabete de Lima Santos, 44, foi considerada culpada pelos mesmos delitos, mas, como não confessou, teve a pena fixada em 25 anos.

Outros dois réus foram condenados a penas de dois anos. Foi o caso de Vitória Trajano da Silva, por denúncia caluniosa, e de Alexandre Jorge de Amorim Pereira, pela ocultação do cadáver da vítima. Eles responderão pelos crimes em regime aberto. Severina Maria de Lima Gonzaga, por fim, foi absolvida de todos os crimes.

Durante o processo, foi investigado se os crimes estariam ligados a dívidas dos acusados com a vítima. Segundo informações repassadas pela Polícia na época, Paulo Vitor teria injetado uma substância no corpo da professora para fazê-la adormecer durante um ritual em um terreiro no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste da Capital. A partir disso, Maria Iracema foi levada até Surubim, no Agreste do Estado, onde foi queimada e esquartejada. Seus restos mortais foram jogados em um açude.