4 de fevereiro de 2016

Prefeito de Surubim tem gestão reprovada por 53%, diz Datavox

De acordo com o blog do Magno Martins, uma pesquisa do instituto DataVox em Surubim, a 120 km do Recife, aponta uma desaprovação de 53,3% da gestão do prefeito Túlio Vieira (PT), enquanto 30,7% aprovam e 16% não souberam responder. Na estratificação por áreas, na zona rural o índice de rejeição pula para 60%, 32,5% aprovam e 7,5% não opinaram. O levantamento foi feito no último dia 28 de janeiro, com uma margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Outro dado que chama atenção é que 52,9% dizem não confiar na gestão do petista, que tentará a reeleição no pleito de outubro. Os eleitores que afirmaram confiar representam apenas 27,4% e 19,7% não souberam responder. A faixa etária que vai de 35 a 44 anos é a que mais desconfia das ações da Prefeitura, com 59,8%, seguida da parcela na faixa etária entre 16 e 24 anos, que tem 58,8% de ceticismo. Com relação à escolaridade, o nível sobe para 66,7% de desconfiança, mesmo número entre os eleitores com renda familiar acima de três salários mínimos.

No quesito avaliação, 35,7% apontaram como regular a administração do petista. Outros 21,7% acham ruim, 17,7% julgam que é péssima e 15,7% dizem que é boa. Apenas 2,2% afirmaram que a gestão é ótima e 7% não responderam. As entrevistas foram feitas nos bairros de Bela Vista, Cabaceira, Centro, Chã do Marinheiro, Coqueiro, Diogo, Lagoa Nova, Santo Antônio, São José e São Sebastião, além das regiões rurais de Lério de Cima, Lério de Baixo e Mocotó, e Jucá Ferrado Campo da Cimenteira.

Incluiu aida Gancho do Galo, Lagoa Nova e Doquinhas, Furnas, Capoeira do Milho e Macacos, Tatus, Gameleira, Bateria e Gangungo. Também foram incluídas as localidades de Mimoso, Piões, Alegre, Desterro e Cachoeira do Taepe, Lagoa da Vaca, Chéus e Duas Estradas, Barra da Onça, Taperinha, Capim e Caiai. Quando questionados sobre os principais problemas enfrentados no município, a maior parte, ou seja, 22,2% respondeu que a Saúde é a área que mais carece de melhorias. 


Outros 14,9% disseram que tudo precisa de melhores desempenhos. O desemprego, o saneamento básico e o calçamento foram outros pontos escolhidos por 11,7%, 11,5% e 10,2% dos entrevistados, respectivamente. Violência e falta d´água foram indicados, cada um, por 7% dos ouvidos.

Postagem anterior
Próxima