quinta-feira, abril 28, 2016

PMs e bombeiros decidem não fazer greve

Os policiais militares e bombeiros de Pernambuco decidiram não entrar em greve. Eles aceitaram a proposta do Governo do Estado, após a segunda rodada de negociações, durante assembleia em frente ao Palácio do Campo das Princesas, na Área Central do Recife. A votação terminou por volta das 23h. "Não tem greve, não tem paralisação. Está tudo dentro da normalidade. A Polícia continua nas ruas", disse Alberisson Campos, presidente da Associação de Cabos e Soldados.

A proposta do Governo não inclui aumento salarial, mas benefícios que representam um ganho real de aproximamente 20%. Alberisson Carlos, presidente da Associação de Cabos e Soldados, comemora o fato de a gratificação estar garantida para a reserva e para todos os integrantes ativos e inativos da Polícia e dos Bombeiros. "Conseguimos fazer o Governo entender que nosso sistema de saúde está falido, está na UTI, mas que agora precisa ter um investimento. Conseguimos que as promoções que iriam acontecer em 2018 ocorram também em 2016 e 2017. Demos uma lição de cidadania para a sociedade, de que podemos trabalhar com segurança pública e buscar uma valorização. Ainda não é tudo o que precisamos, mas mostrando que podemos discutir de maneira democrática e nosso cliente, nosso parceiro, que é a sociedade, vai ganhar muito", disse.

A rodada final de negociações entre representantes da categoria e do Governo do Estado, realizada na sede da Secretaria de Administração (SAD), no Pina, Zona Sul do Recife, terminou por volta das 22h30, de acordo com o secretário da pasta, Milton Coelho. Participaram da reunião, representando o Governo, os secretários de Defesa Social, Alessandro Carvalho; de Administração, Milton Coelho, e o comandante Carlos D'Albuquerque, da Polícia Militar, entre outros gestores. A categoria foi representada por Alberisson Carlos, José Roberto Vieira, presidente da Associação dos Praças (Aspra); Ricardo Medeiros, presidente da Associação dos Bombeiros Militares (ABM); Nadelson Leite, vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados; além do deputado Joel da Harpa.
 
"Não tem greve, não tem paralisação. A Polícia continua nas ruas", disse Alberisson Campos, presidente da Associação de Cabos e Soldados

Em assembleia geral realizada mais cedo, por volta das 20h30, em frente ao Palácio, os PMs recusaram a primeira proposta oferecida pelo Estado durante reunião ocorrida à tarde. A comissão que representa os policiais voltou a se reunir com a atual gestão para renegociar. Confira abaixo a íntegra da nota divulgada pelo Governo no fim da noite.

“Na verdade, na proposta original, o que foi visto é somente um ajuste em números, onde a gratificação de auxílio transporte terá uma variação. Inicialmente, ela estava prevista para R$ 350, vai para R$ 400. Foi um ajuste diante do esforço envolvendo a equipe do Governo para poder chegar a esses números”, afirmou o comandante Carlos D'Albuquerque, da Polícia Militar.
“Foi um bom entendimento, um excelente diálogo com o Governo. 

As associações entenderam a situação através de um trabalho bem elaborado pelo comandante junto ao Governo, dentro dos pedidos que chegaram das associações. Com isso, a gente conseguiu construir esse pequeno ponto, que foi adequado, como D´Albuquerque falou, que foi a entrada disso já no contracheque de junho. Isso foi muito bom para as corporações. 

Para o bombeiro, ainda houve um ganho muito importante, que é a abertura de um concurso público para soldados nas nossas fileiras. A sociedade pernambucana vai ganhar muito com isso”. Manoel Cunha, bombeiro representante do Estado.
 
“A Polícia Militar lançou seu efetivo normalmente durante a manhã e continuou durante todo dia. Nós mantivemos o monitoramento e o acompanhamento. As ocorrências foram dentro de um cenário apresentado pela própria situação de hoje, mas todas essas ocorrências foram atendidas. Resultado foi dentro da normalidade esperada”, explicou o comandante Carlos D'Albuquerque, da Polícia Militar.

Confira as propostas do Governo:

1. Pagamento de Auxílio para Aquisição de Uniforme no valor de R$ 750,00 anual para militares Praças e Oficiais ativos e da Guarda Patrimonial. (a partir de junho/2016);
2. Pagamento de ajuda de Custo Transporte no valor de R$ 400,00 mensais para todos os Praças (ativos e inativos, a partir de junho/2016);
3. Pagamento de Ajuda de Custo Transporte no valor de R$ 600,00 mensais para todos os Oficiais (ativos e inativos, a partir de junho/2016);
4. Investimentos e regularização de débitos no SISMEPE (Sistema de Saúde dos Militares do Estado de Pernambuco);
5. Abertura de Concurso Público para Oficiais (CFO) (60 PMs e 20 CBMs para o ano de 2017 e o mesmo quantitativo para o ano de 2018);
6. Abertura Seleção Interna para o Curso de Formação de Oficiais da Administração (CFOA) no exercício de 2016;
7. Abertura de Concurso Público para Soldados do CBM (300 soldados);
8. Revisão do Código Disciplinar em 2016;
9. Compromisso da não majoração da alíquota de FUNAFIN;
10. Abertura de Curso de Habilitação de Cabos e Curso de Formação de Sargentos em 2016


Fonte: Folha de Pernambuco