quarta-feira, janeiro 04, 2017

Conheça faculdades públicas com moradia gratuita ou subsidiada

Mais difícil do que passar no vestibular, é conseguir vaga em uma moradia estudantil gratuita nas mais importantes universidades públicas do Brasil. Quase todas elas dispõem do benefício, em geral, destinado a alunos carentes e que moram fora da cidade onde vão estudar, mas as vagas sempre são em menor número do que o necessário.
Há casos de instituições que não oferecem a opção da moradia, e sim de um auxílio-moradia em dinheiro. Na maioria dos casos, os estudantes beneficiados têm de ter bom desempenho escolar para continuar com o benefício até a conclusão do curso. Veja quantas vagas disponíveis e os principais critérios para a concessão do benefício em 15 universidades brasileiras
USP (Universidade de São Paulo)
A maior universidade pública do país, com 63.611 alunos, dispõe de 1.187 vagas para alunos de graduação e 378 para alunos de pós-graduação nos seu principal campi, no Butantã, na capital paulista. Os apartamentos do CRUSP possuem quartos individuais, banheiro e área comum e as cozinhas são comunitárias. Podem se inscrever alunos que estejam cursando a primeira graduação e que possuam renda per capita de até três salários mínimos. A instituição também garante auxílio moradia, no valor de R$ 400, com duração máxima de 12 meses.
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
A Federal do Rio de Janeiro tem 39.887 alunos e dispõe de alojamento para estudantes, no campi da Cidade Universitária, com 504 vagas. São dois blocos, feminino e masculino,com 252 vagas cada. De acordo com o site da UFRJ, a prioridade é atender os alunos mais carentes e que morem distantes da universidade. Além disso, o aluno tem direito a uma bolsa para manutenção, atualmente fixada em R$ 400 por mês.
Universidade Federal do Ceará (UFC)
Vista da Universidade de São Paulo, na zona oeste de São Paulo (Marcos Santos/USP Imagens/VEJA)
O Programa de Residência Universitária assegura moradia a estudantes de baixa renda do interior do Ceará e de outros Estados. São 256 vagas distribuídas em 14 alojamentos, sendo nove masculinos, quatro femininos e um misto. Os alunos selecionados podem ficar no local até um semestre após a conclusão do curso. Ada alojamento, segundo a instituição, possui regras próprias e tem um diretor, eleito pelos próprios moradores. A UFC tem 23.253 alunos. 
Universidade de Campinas (Unicamp)
Com 16.675 alunos, a Unicamp tem um programa de moradia direcionado, principalmente, a quem mora fora da Região Metropolitana de Campinas (RCM) e de baixa renda. São 900 vagas, distribuídas em unidades de sala e quarto com quatro vagas. Segundo a Unicamp, cabe ao aluno definir qual casa irá morar.
Faculdade de Odontologia da USP (FOB)
No campi de Bauru, os alunos da FOB contam com dois blocos de alojamentos, num total de 24 quartos, abrigando 72 estudantes. A seleção de candidatos é feita pela Comissão Administrativa do Conjunto Residencial estudantil e o principal critério para a concessão do benefício é a situação sócio-econômica dos alunos.
Universidade Federal de Goias (UFG)
Com mais de 22 mil alunos, a Universidade Federal de Goiás oferece as chamadas Casas de Estudantes Universitários, os CEUS, no total de 314 vagas, distribuídas em quatro campi. A prioridade é atender aos alunos que estejam cursando a primeira graduação, de baixa renda e que morem no interior ou em outros Estados.
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
São 632 vagas de moradia estudantil no principal campi da universidade, em Belo Horizonte. Vão desde apartamentos com seis quartos a quitinetes com quatro vagas cada, além de 12 quartos adaptados a pessoas com necessidades especiais. Já no campi de Montes Claros, são 108 vagas. Em alguns casos, os estudantes têm de pagar uma parcela na taxa de condomínio.
Universidade estadual de Londrina (UEL)
Uma das universidades estaduais mais importantes do país, a UEL disponibiliza 82 vagas de moradia gratuita para estudantes da graduação de baixa renda e que morem em locais que não tenham acesso a linhas de ônibus da região metropolitana da cidade ou com horários incompatíveis com o do curso. São 21 residências, sendo duas adaptadas para atender estudantes com deficiência física, promovendo acessibilidade a estes. Segundo a instituição, a moradia inclui sala de informática e segurança 24 horas.
Universidade Federal do Pará (UFPA)
Para obter o benefício, o aluno tem de morar fora da cidade onde vai estudar e sua renda per capita não pode ultrapassar o valor de um salário mínimo e meio. São apenas 56 vagas de moradia gratuita, sendo que, no campi de Belém, só há alojamentos para mulheres _22 vagas. Nos campi de Castanhal (12 vagas) e de Tucurui (22), há vagas para homens e mulheres.
Universidade do Estado de Santa Catarina
A instituição não possui moradias estudantis, mas concede auxílios-moradia no valor de R$ 250. Em alguns casos, o aluno ainda pode obter o auxílio-alimentação, no valor de R$ 200. Para obter o benefício, sua renda tem de ser inferior a um salário mínimo e meio e ele não pode morar na mesma cidade em que estuda.
Universidade Federal da Grande Dourados
A instituição do Mato Grosso do Sul oferece 96 vagas de moradia gratuita, sendo seis para estudantes estrangeiros, distribuídas em 16 apartamentos. Só tem direito a recorrer ao beneficio alunos com renda de até um salário mínimo e meio e que morem fora de Dourados. Além disso, o estudante tem de cumprir carga horária mínima de 432 horas no semestre para os cursos integrais de graduação.
Universidade Federal Fluminense
Para obter o benefício da moradia estudantil na Federal Fluminense, o aluno tem de ser carente e morar a, no mínimo, 32 km de distância da unidade onde estuda. A moradia do campus de Rio das Ostras possui capacidade para 48 estudantes, sendo oito para os com algum tipo de mobilidade. Já a unidade de Niterói dispõe 314 vagas, sendo 66 com acessibilidade. Além da análise do cadastro socioeconômico, a seleção inclui entrevistas, visitas domiciliares e exame médico.
Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (Unesp)
Com campus espalhados por 22 municípios no Estado de São Paulo, a Unesp disponibiliza 1.240 vagas de moradia estudantil. O principal critério para assegurar o benefício é a renda, que não pode ultrapassar um salário mínimo e meio. Mas o candidato ainda tem de passar por uma entrevista com assistente social, que irá avaliar outros aspectos como a distância da residência do aluno.
Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
É uma das instituições com maior número de vagas de moradia estudantil por número de alunos: 1.805 acomodações para cerca de 18 mil estudantes. Mesmo assim, a procura é grande e o site da universidade gaúcha informa que a espera para obter uma vaga é de seis meses. Quanto mais carente e mais distante da unidade escolhida, são cinco campi no Estado, mais chances têm de ser escolhido. Segundo a universidade, o beneficiado precisa levar colchão, além de roupas de cama e material de higiene.
Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Considerada a melhor universidade do Nordeste, a Federal da Bahia tem quatro conjuntos de residências universitárias que acomodam 420 estudantes de baixa renda e que moram em cidades do interior ou de outros Estados. Além da moradia, os beneficiados têm ainda refeições gratuitas e fornecimento de água, gás e energia elétrica. Todas as residências ficam em Salvador, nos arredores da universidade.
Veja online