8 de fevereiro de 2017

Negra, pobre e primeiro lugar em medicina da USP

É com uma frase provocativa estampada em uma rede social que Bruna Sena (Foto), 17, 1ª colocada em medicina da USP de Ribeirão Preto, carreira mais concorrida da Fuvest-2017, comemora e passa um recado de sua conquista: "A casa-grande surta quando a senzala vira médica". 

Negra, pobre, tímida, estudante de escola pública, criada apenas pela mãe, que ganha R$ 1.400 como operadora de caixa de supermercado, Bruna será a primeira da família a interromper o ciclo de ausência de formação superior em suas gerações. 

A opção pela medicina aconteceu há cerca de um ano, por influência de professores do cursinho popular que frequentou. "Claro que não sei ainda qual especialidade pretendo seguir, mas sei que quero atender pessoas de baixa renda, que precisam de ajuda, de saúde de qualidade".

Folha de Pernambuco 

Postagem anterior
Próxima