24 de março de 2017

A irresponsabilidade da PF custa US$ 63 milhões por dia ao Brasil

Não! A carne brasileira não estava e não está estragada. Já a institucionalidade exibe manchas de necrose, que indica a morte de células e de tecido em organismo ainda vivo. Se é progressiva, leva à morte se não houver tratamento. E saibam: a necrose institucional é, sim, progressiva. E precisa ser enfrentada.
Os números do desastre provocado pela aloprada Operação Carne Fraca são assombrosos. Depois de China, União Europeia, Chile, Suíça, Jamaica, Hong Kong e Egito, África do Sul e Canadá suspenderam nesta quarta-feira a importação de carne brasileira.
A Operação Carne Fraca causou um verdadeiro estrago nas vendas do setor. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, as exportações de frigoríficos brasileiros praticamente zeraram após a ação da Polícia Federal.
Para se ter uma ideia da queda, a pasta calculou que a média diária de exportações em dias úteis neste mês de março era de US$ 63 milhões até a deflagração da Carne Fraca. Na terça, a venda de carnes ao exterior ficou em apenas US$ 74 mil. O valor corresponde a quase zero perto do movimento habitual do setor.
Sim, meus caros, o Brasil deixou de exportar carne, área em que era líder, por causa da irresponsabilidade da Polícia Federal. Não dá ainda para ter uma noção do prejuízo. O ministro Blairo Maggi (Agricultura) chegou a falar em uma perda de US$ 1,5 bilhão nas exportações. É cedo para dizer e depende do tempo que levará para que as barreiras ao produto brasileiro sejam eliminadas. Todos sabemos que se pode suspender a importação em 30 segundos, mas que a volta à normalidade pode levar meses.
E o estrago não se dá só na pecuária. Como lembrou um produtor rural em mensagem enviada ao programa “Os Pingos nos Is”, que ancoro na Jovem Pan, também a agricultura sofrerá um forte impacto a depender do que aconteça. Na base da ração para o gado, estão, por exemplo, o milho e a soja.
CPI e esquerda contra o povoAs esquerdas, que, no geral, se lixam para o povo, não estão nem aí. Obcecadas que são para pegar no pé do produtor rural — uma categoria verdadeiramente heroica no país —, deram início a um pedido de CPI para apurar o caso da carne. O PSOL, como sempre, é o mais estridente, mas o PT também está nessa. Estão de olho na suposta propina a membros do PMDB e do PP.
Querem saber? Acho que a dita bancada ruralista deveria aderir, sim, à CPI, não pelos motivos imaginados por Valente e outros valentes, mas que se tenha a oportunidade, ao menos, de ouvir representantes da operação para tentar entender como, por que e com base em quais elementos a Polícia Federal decidiu zerar a exportação de carne do país.
Vivemos dias verdadeiramente melancólicos. As autoridades investidas do poder de Estado usam essa condição para transgredir abertamente a lei. E não estão nem aí.
Chega a ser espantoso que um partido dito socialista, como o PSOL, e um de esquerda, como o PT, simplesmente ignorem o impacto que tem a irresponsabilidade da PF na vida dos mais pobres, não é mesmo?
Afinal, eles se querem inimigos do agronegócio e devem achar que só “os patrões estão perdendo.
Bem, se essa gente tivesse um pensamento aceitável sobre política e economia, não pertenceria ao PSOL e ao PT. É preciso ignorar muita matemática para fazer essa escolha.
Reinaldo azevedo

Postagem anterior
Próxima