segunda-feira, maio 29, 2017

Caruaru entra na lista de municípios em emergência por causa da chuva, que chega a 15

Caruaru, no Agreste de Pernambuco, vai entrar na lista de municípios em estado de calamidade pública por causa da chuva forte dos últimos dias. Segundo o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, o decreto foi assinado na noite desta segunda-feira (29) pelo governador Paulo Câmara e começa valer na terça (30), aumentando de 14 para 15 as localidades em emergência. Stefanni disse que Câmara vai à Brasília, neste terça, visitar ministros para explicar a situação dramática do Estado.


Decretaram emergência até agora: Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Marial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso e São Benedito do Sul.

O último balanço do Governo é que há 42 mil pessoas entre desabrigadas e desalojadas por conta das enchentes. Duas mortes foram confirmadas em Lagoa dos Gatos, no Agreste, e há dois desaparecidos em Caruaru.

O governador reuniu pela primeira vez o secretariado no Palácio, na área central do Recife, para discutir ações de enfrentamento aos impactos das últimas chuvas na Mata Sul e municípios do Agreste. O encontro começou às 19h20 e durou 1h30.  Foi determinado que cada secretaria ficará sob o comando de uma cidade em calamidade.

Mil cestas básicas seguiram para a Mata Sul. Um dos helicópteros solicitados ao Governo federal para monitorar as áreas alagadas chegou nesta segunda e outro deve chegar amanhã. O secretário também informou que foram planejadas, neste encontro, a limpeza de cidades para evitar proliferação de doenças.

RecursosDe acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Chuvas (Apac), as enchentes poderiam ter sido amenizadas se tivesse sido concluído o projeto de construção de quatro barragens, prometido depois das enchentes de 2010, que atingiram 68 municípios na região da Mata Sul. Destas obras, apenas a barragem Serra Azul, no rio Una, foi finalizada. As outras três barragens, que deveriam conter as enchentes do rio Panelas, riacho dos Gatos e Pirangi, não. 

Segundo o secretário, "não faltou planejamento", mas recursos do Governo federal e as obras tiveram que parar. Stefanni disse que o presidente Michel Temer, que visitou Pernambuco na noite do último domingo (28), ficou de ajudar o Estado. 

"Foi dito isso [que faltou repasse de dinheiro] ao presidente e que é preciso atualizar os projetos. Não há troca de culpas. Foi feito um pleito de R$ 383 milhões, e o presidente se comprometeu a estudar o caso de Pernambuco", explicou.

O secretário informou também que Temer se comprometeu a agilizar a liberação de um financiamento de R$ 600 milhões que o Governo estadual tem contratado com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para conclusão de obras preventivas de convivência com chuvas fortes.

"Nós pedimos um tratamento similar de 2010, quando Pernambuco em conjunto com Alagoas foram ao BNDES e pediram um financiamento diferente do que é o ordinário do BNDES para situações excepcionais e o banco entendeu. Além do recurso de convênio, nós pedimos o financiamento, que é um direito do Estado, que vamos pagar de volta.", complementou.

Relatos de saques


A reportagem da Folha de Pernambuco foi ao município de Barreiros, na Mata Sul de Pernambuco, e encontrou uma situação caótica. O centro da cidade estava inundado e a água podia ser vista desde a PE 60, que margeia a localidade. Segundo moradores, que preferiram não se identificar, lojas e até mesmo residências foram alvo de saques

O secretário afirmou que houve o início de saques, mas que foram logos controlados e divulgou as medidas de segurança para os municípios afetados pelas cheias. "Não só o nosso Corpo de Bombeiros está de prontidão, como toda a nossa Polícia Militar. Nós temos colocadas equipes, não só ordinárias, como o Batalhão Especializado de Polícia do Interior, que tem base em Palmares. Foram escalados novos Gatis, que são grupos de elite da polícia. Nesta hora é de suscitar o caráter humanitário das pessoas”, disse.


Folha de Pernambuco