30 de setembro de 2017

Mãe que jogou recém-nascido no lixo é detida em Palmares

Uma mulher de 35 anos que jogou o próprio filho no lixo foi detida na manhã desta sexta-feira (29), em Palmares, na Mata Sul de Pernambuco. O delegado Marcelo Queiroz, responsável pelas investigações do caso, localizou a mãe do recém-nascido, que foi encontrado morto dentro de um saco plástico no último sábado (23), no lixão do município.

Segundo o investigador, a mulher, que mora no Engenho Pirangi, na zona rural de Palmares, informou, em interrogatório, que fez o parto, sozinha, na própria residência e que, em seguida, enrolou o filho no lençol e jogou na lixeira. "Ela não sabe dizer se o bebê nasceu vivo porque não olhou para o filho e também não sabe afirmar se ele respirava", comentou Marcelo Queiroz, que informou que os garis não perceberam que dentro do saco havia um bebê. 

A dona de casa informou à polícia que teria tentado abortar de diversas formas, mas que não teria conseguido. "Ela disse que tomou até chá abortivo", contou o delegado. A mulher, que tem outros três filhos de um relacionamento anterior, passou a esconder a gravidez, usando cinta para disfarçar a barriga de gestante. A mãe alegou que não queria ter o filho porque era agredida pelo pai da criança. 



"Ela disse que estava separada desde maio e que o pai do bebê batia nela. A mulher informou que não queria ter um filho com o 'sangue' do pai da criança", comentou Marcelo Queiroz, que também ouviu o pai. "Ele disse que não sabia que a intenção dela era tirar o bebê", disse o delegado, que aguarda o laudo com a causa morte. 

"Após o laudo, concluo o inquérito. É o laudo que vai dizer o tipo do crime. Se foi aborto, infanticídio, se nasceu morto, se chegou a respirar ou até se morreu sufocado", finalizou o investigador. A expectativa é que o documento, que é confeccionado pelo Instituto Médico Legal (IML) do Recife, fique pronto em 30 dias. Após as ouvidas, a mulher e o pai do bebê foram liberados. 


folha de Pernambuco 

Postagem anterior
Próxima